sexta-feira, 4 de março de 2016

Vereadores e ex prefeito de Maragojipe se reúne em salvador com AGERSA (Agência Reguladora de Saneamento Básico do Estado da Bahia):





Os Vereadores Eustilio De Carvalho Neto de Carvalho (Neto do PT) e Fernando Nery Nery, se reuniram com Diretores da AGERSA (Agência Reguladora de Saneamento Básico do Estado da Bahia): Rogério (Diretor Geral), Silvio Ataliba (Diretor Financeiro) e mais um Técnico para discutir o relatório de fiscalização, sistema de abastecimento de água, e o sistema de esgotamento sanitário do Município de Maragogipe. Referente a oficio anteriormente encaminhado para EMBASA, onde buscam melhorias para o Município. 

-
Eustilio De Carvalho Neto
Vereador

Vamos as nossa considerações, uma iniciativa louvável do ex-prefeito Silvio Ataliba, o problema foi que todos os vereadores foram convidados para essa reunião, com exceção do Edil Didi da Avenida que justificou que por se tratar do seu aniversário não poderia participar, já os demais confirmaram, mas o curioso que na foto só mostra Neto do PT e Fernandinho de São Roque  ou seja os outros prometeram e não foram, acredito que o melhor para Maragojipe deve ser visto como prioridade e acima das questões politicas partidárias.

O ex prefeito Ataliba que não é besta deve ter aproveitado para tentar trazer Fernandinho para seu lado, afinal ele está fazendo de tudo para ser candidato, mesmo a justiça dizendo não.
Vejam uma matéria do Bocão News  sobre esse assunto onde diz que Ataliba só pode se candidatar em 2022:

As  contas de 2011 de Ataliba estão sub judice. O Tribunal alega que o então gestor se excedeu no limite com pessoal. Para o petista, a rejeição das contas de 2011 foi uma ação política. “Mas os advogados estão resolvendo essa questão”. Ataliba é apadrinhado político do deputado federal Luiz Caetano (PT), ex-prefeito de Camaçari.


INSS - Apesar das negativas do petista, o Bocão News apurou que pareceres do TCM, Ataliba reincidiu excesso de limite com pessoal, omitiu cobrança de multas e ressarcimentos, não realizou de licitações durante sua gestão e excedeu gastos no pagamento de obrigações essenciais. Ainda segundo levantamento do site, houve déficit orçamentário de execução de R$ 5 milhões, excesso em processos licitatório de mais de R$ 1,2 milhão, contratação de pessoal em R$ 31 milhões e omissão de cobrança da dívida ativa, controle interno deficiente e ausência do Inventário Patrimonial. O ex-prefeito ainda recolheu mais de R$ 1,8 milhões dos servidores e não os repassou ao INSS. Por conta disso, o petista está inelegível até 2022. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nunca escreva para os outros, o que você não gostaria de ler