domingo, 29 de abril de 2018

Maragojipe: Crítica construtiva a administração pública da nossa cidade por Dr. Paulo Vicente Guerreiro Peixoto.


Após publicar meu texto de hoje e postar as fotos do nosso amanhecer aqui do Cai-já, cuja beleza Deus abençoa todos os dias, não poderia deixar de fazer minha crítica construtiva a administração pública da nossa MARAGOGIPE.


Peço que olhem mais para o nosso maior Cartão Postal que é esta Praça do Cai-já, onde todos nós, Maragogipanos ou não , crescemos e começamos a dar nossos primeiros passos na infância, seja jogando bola, empinando arraia, tomando banho nas águas do rio Paraguaçu e, participando de tantas outras brincadeiras, que foram infelizmente extintas ou substituídas.

Como já postei em outras oportunidades, o abandono é quase total, a escuridão predomina com as torres e postes de iluminação sem lâmpadas, quadras esportivas abandonadas correndo o risco de causar acidentes às crianças, adolescentes e adultos, que ainda teimam em utilizá-las, sem falar nos passeios do Cais, repleto de buracos e desníveis que já causaram quedas aos que alí fazem caminhada, e, por aí vai o descaso, que, ainda é pior, pela falta de educação e zelo de alguns conterrâneos que destroem os bens públicos como bancos, cestos de lixo, placas de sinalização... (vide algumas fotos).

Não vou entrar no mérito dos carros de som que tiram muitas vezes o sossego dos frequentadores do Cai-já até altas horas, principalmente nos fins de semana, mas, a administração pública, se tivesse boa intenção, pois com certeza recursos não faltam, poderia nos dias de sábados e domingos, além de organizar o trânsito na artéria, fazer eventos musicais para embelezar ainda mais os fins de tarde do Cai-já e, também, de outros logradouros públicos de nossa Terra das Palmeiras.

Tá feito o meu protesto, sem qualquer conotação política, mas como desabafo não só meu, mas, de muitos Maragogipanos e visitantes de nossa cidade, que a amam de verdade.




Um bom domingo a todos os Amigos e Irmãos.
VAMOS ZELAR E CUIDAR DO QUE É NOSSO.
Paulo Vicente Guerreiro Peixoto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nunca escreva para os outros, o que você não gostaria de ler