segunda-feira, 23 de abril de 2018

Maragojipe: Crônica sobre a política brasileira com similitude a leishmaniose.

Professor _ Edmílson Conceição Quirino Agente de Saúde, Escritor, Técnico em Endemias e Palestrante.

Qualquer semelhança será mera coincidência sem nenhuma relação de causa.
Os municípios; eles são os órgãos que poderá estar ou não comprometidos, infectados por parasitas (organismos que vivem em outro organismo, dele obtendo alimentos e causando-lhes danos).
O gestor é o agente etiológico; parasitas que pode acometer por duas infecções no Brasil LVC (Leishmaniose Visceral) o agente infectante é a Leishmania Chagasi e a LTA (Leishmaniose Tegumentar) vetoriada pela Leishmania (Viannia) braziliensis.
Os vereadores são as células imunitárias os macrófagos; que tem a obrigação de criar leis, fiscalizar para que não haja folhas do amém, admissão e demissão de servidores por datas fictícias, fiscalizar rodízios suspeitos de contratações e nomeações, nepotismos, aprovar ou rejeitar contas, fiscalizar possíveis improbidades e outras aferições da sua função sem ter que ser massa de manobra do gestor, desta forma irá proteger os órgãos das células invasoras (parasitas) só que muitos têm a função dos mosquitos, “só picarem” deixando o povo na dúvida se estão ou não eles infectados.

O povo são os hospedeiros; dos tipos (Humanos e Canídeos) que abrigam em seu sangue os invasores hospedeiros desta metástase.
Os vereadores hoje são mosquitos Flebótomos; fêmeas infectadas ou não, hematófagas, transmissoras caso estejam infectadas da Leishmaniose, sempre na procura de vítimas onde possa fazer o repasto sanguíneo para maturarem os seus ovos, eles estão sempre nos Peri domicílios e Intra domicílios a procura de hospedeiros eleitores visando seus vasos sanguíneos mais visíveis e que ofereçam maiores fluxos.

O gestor; age sempre em seu primeiro mandato como na leishmaniose tegumentar (LTA), ele infecta a pele dos seus hospedeiros, causando-lhes poucos danos superficiais dermatológicos. Todo o processo licitatório em seu primeiro mandato é como se tivesse dando papa com garfo a um bebe de forma meticulosa, para não se macular judicialmente.
No segundo mandato deixa de ser uma afecção da pele simples com crostas e secreções purulentas, passando a ser uma infecção ulcerada com danos nas mucosas e submucosas da boca “para não poder falar”, na cartilagem da orelha “para não poder ouvir”, só não causa danos severos nos olhos “para que todos vejam e se arrependam, porém, não tenham forças para falar”, e, no decorrer do segundo mandato muda de infecção, passando para a sistêmica (LVC) com danos hepatoesplenomegalicos e medular. O parasita GESTOR vetor do infortúnio invade os vasos linfáticos do povo sofrido, dominando o seu sistema imunitário deixando apáticos, raquíticos, enquanto que, o legislativo observa aceitando, quando deveria ter a dignidade de fagocitar às células invasoras infectantes e xenofóbica que destroem os órgãos, órgão que se chama município, eleitor, comunidade, esta sim deveria ser a meta dos legisladores, priorizando os interesses do povo e não as das suas pessoalidades, causando os piores sintomas públicos por unirem-se as diversas formas de locupletação, deixando cada vez mais o povo sem os devidos cuidados nas áreas da saúde, da educação, da limpeza e da segurança por conseqüência dos crimes que são praticados.

E para redução de gastos públicos no seu segundo mandato, a eutanásia é a alternativa mais aceitável para se resolver os problemas de consciência com este grande problema de ordem social negligenciado chamado “calazar”, quando seria muito mais fácil fazer uma política pública preventiva com educação em saúde, vacinação, borrifação com os pulverizadores costais nas áreas de constatação endêmica notificada, e, um Centro de Zoonoses por ser esta a opção adotada pelos governantes incorrompíveis, garantindo desta forma a saúde física de muitos cães errantes, não errantes e da população. Agindo desta forma terá o controle das zoonoses (doenças que podem ser transmitidas de animais para seres humanos) e na prevenção de futuras epidemias, não deixando que se predominem surto epidêmico por inaptidão e negligência dos poderes públicos que fizeram promessas em dar assistência aos seus eleitorados, por isso o povo em geral só deve ser grato aos políticos de boa conduta e caráter ilibado e que todos abram os olhos porque temos eleições para deputado este ano e está chegando a hora de muitos gestores ímprobos virarem “santos”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nunca escreva para os outros, o que você não gostaria de ler