quarta-feira, 4 de abril de 2018

Maragojipe: Urgente Surto de Calazar (Leishmaniose) na Cidade. Por Edmilson Quirino

Edmilson Quirino é servidor público da saúde em Maragojipe Agente de Combate as Endemias

SURTO DE CALAZAR EM MARAGOGIPE!
Estamos vivenciando um grande surto de calazar em nossa Cidade, ou este novo Kit tem falha.Chegou no Município o mais novo exame - feito por meio de uma fita contendo reagentes, mecanismo semelhante aos dos testes simples de gravidez - já está sendo realizado pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) aqui em nossa Cidade temos coordenando esta campanha da Leishmaniose o senhor Ivo Paranhos e seu agente o senhor Marcos Paulo (Mamadeira). Trata-se do teste rápido DPP (Dual Parth Platform ou Pla­taforma de Duplo Compartilhamento), que oferece o resultado em cerca de 20 minutos, sem a necessidade de análise laboratorial.

Só que o inesperado aconteceu, estamos vivenciando um surto de 50% dos casos em duas localidades trabalhadas, na Comissão e no Cajá e o que é pior não temos Veterinário para dar assistência em fazer a segunda prova no caso de positividade, aí eu pergunto como fazer neste caso em que temos um cão positivo? Devemos fazer a eutanásia? Ou esperar quando tiver e se tiver um veterinário para fazer a segunda prova e o que ainda se torna mais deprimente para os proprietários dos cães é a incerteza da doença por ver seu cão assintomático (sem sintomas aparentes) e aí eu continuo a perguntar até quando eles irão conviver com este pesadelo!

Existe cura? Sabemos que o remédio é caríssimo o Milteforan custa em média de 700 á 2.000 reais e o que fará o senhor conhecido como Cometa que um destes cães é o seu, sendo ele um simples morador do Caijá que vive do sub-emprego, o que fará ele? Eutanásia ou cura? Ou simplesmente esperar pela morte do seu fiel e amado animal!

Um medico veterinário fala em tratamento quando não existia até então a cura, sabendo o mesmo que não adiantará em nada pois nem todo mundo tem condições de comprar esses " MEDICAMENTOS" de tão alto valor e ainda tem a tal coleira repelente acima dos 100 reais, eu acredito que esses medicamentos combatam os sintomas realmente, dando mais longevidade ao animal, mas a cura não acredito que exista, e mais cedo ou mais tarde eu acredito que este animal irá fatalmente morrer, só que eu gostaria que tudo fosse mais definido sem subterfúgio e enganação.

Edmilson Quirino


Causa

O calazar é causada pelo protozoário parasita Leishmania que é transmitido pela picada de mosquitos-palha infectados. O parasita ataca o sistema imunológico e, meses após a infecção inicial, a doença pode evoluir para uma forma visceral mais grave, que é quase sempre fatal se não for tratada.




Sintomas

Leishmaniose pode causar nódulos na superfície da pele. As unhas dos cães com esta doença tendem a ser longas e frágeis.
Outros sintomas associados incluem linfadenopatia, doença dos linfonodos com lesões de pele, em 90% dos casos, emaciação, sinais de insuficiência renal, urinação excessiva, sede excessiva, nevralgias, condição dolorosa dos nervos, dores nas articulações, inflamação dos músculos, dos ossos e febre.


Diagnóstico

O diagnóstico é realizado combinando os signos clínicos com os testes serológicos e parasitológicos. Os testes mais efetivos para diagnóstico de leishmaniose são invasivos pois demandam amostras de tecido, gânglios linfáticos ou da medula espinhal. Esses testes requerem instalações laboratoriais e especialistas que não estão disponíveis imediatamente em áreas endêmicas e com poucos recursos.


O método mais comum para diagnosticar o calazar é o teste da tira reagente, mas ele apresenta alguns problemas. Em áreas endêmicas, pessoas podem ser infectadas pelo calazar, mas podem não desenvolver a doença. Nesse caso, nenhum tratamento é necessário.

Infelizmente, o teste da tira reagente detecta apenas se o paciente é imune ao calazar. Logo, se o parasita estiver presente, o teste vai apontar que a pessoa tem a doença. Por isso, não pode ser usado para verificar se o paciente está curado, se foi reinfectado ou se teve uma recaída.


Tratamento

O calazar é uma doença tratável e curável. Todos os pacientes diagnosticados precisam de tratamento rápido e completo, existindo diferentes opções, com efetividade e efeitos colaterais variados.

Antimoniais pentavalentes são, normalmente, o grupo de medicamentos de primeira linha, administrados como tratamento de 30 dias de injeções intramusculares. Enquanto antimoniais são bastante tóxicos e representam um risco aos pacientes que recebem o tratamento, aqueles que são curados do calazar quase sempre desenvolvem imunidade vitalícia. Pesquisadores esperam identificar formas de simplificar os regimes de tratamento, melhorar a segurança e reduzir o risco de resistência a medicamentos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nunca escreva para os outros, o que você não gostaria de ler