quarta-feira, 2 de maio de 2018

Maragojipe: Vamos refletir? Por Eliane Rangel.


Vamos refletir? Venho mais uma vez me solidarizar com os trabalhadores brasileiros, especialmente os maragogipanos. Atravessamos um momento extremamente difícil, onde os direitos trabalhistas estão sendo menosprezados e dilapidados por um governo ilegítimo, fruto de um golpe apoiado pelas grandes empresas do capital financeiro e assim, infelizmente não há o que se festejar, mas refletir, mobilizar e resistir contra essa escalada de ataques frontais a classe trabalhista. Dentre as diversas maldades da agenda neoliberal do governo golpista, está a Re(De)forma Trabalhista, que nada mais foi do que o jeito encontrado para atender aos interesses do Mercado/elite empresarial, responsável por bancar a nossa ruptura democrática. Contudo, mesmo diante desse cenário desfavorável, não podemos esmorecer, como diz Paulo Vanzolini: “levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima...”. Desta forma, meus amigos, ocupemos o poder pacificamente, façamos a revolução do proletariado como pensou Karl Marx, ora, não podemos produzir as riquezas desse país nos mais diversos setores e continuarmos a viver em maus condições de trabalho, obtendo apenas a nossa subsistência, se nós produzimos, logo essa produção nos pertence. Ainda hoje, perdura sobre nossa sociedade um meio de trabalho análogo ao sistema servil ou escravagista. Enfrentamos uma recessão econômica, fruto da irresponsabilidade política dos que não aceitaram a soberana vontade popular expressa pelas urnas em 2014, a qual cresceu demasiadamente depois do golpe, levando 13,1 dos brasileiros ao desemprego, o que representa 13,7 milhões de pessoas nessa situação, famílias desesperadas que na maioria das vezes não tem com o que se alimentar... é uma triste realidade a ser enfrentada, que perpassa pela outorga popular de um PROJETO NACIONAL E LOCAL DE DESENVOLVIMENTO que tenha como prioridade a geração de emprego e renda, que é a política social mais eficaz, entretanto, isso depende do resultado das eleições de 2018, que nortearão qual caminho o povo brasileiro quer seguir, o do Brasil democrático que deu certo e gerou mais de 21 milhões de empregos estáveis ou o Brasil do golpismo que fracassou e colocou a população na linha da miséria e do desemprego? O nosso voto é a arma mais eficiente para retomar aquilo que nos é de direito. E VAMOS À LUTA! 

Por Eliane Rangel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nunca escreva para os outros, o que você não gostaria de ler